Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Você gosta de SOPA?

Eu nunca gostei. Uma lei de SOPA então, menos ainda. Essa coisa toda é ridícula, afinal é sabido que muitos artistas fizeram e fazem muito mais sucesso com o auxílio da divulgação e compartilhamento pela internet. E os que não dependem da net para ganhar seus milhões tornam essa lei mais inútil ainda.

O P da sigla significa Pirataria, mas pra mim o que tem na internet não é pirataria, e sim amostra grátis. O fã do produto original se gostar vai comprar, eu sou assim. Enquanto escrevia esse texto baixei um cd e não me sinto mal por isso, sei que não deixei ninguém mais pobre. Ao contrário do que eles pretendem com essa lei, porque pensem comigo: o que querem? que quando alguém quiser um cd, filme ou livro, compre? Bom, duas coisas podem acontecer: a cultura das pessoas vai diminuir, pois ninguém vai comprar produtos tão caro; ou as pessoas vão morrer de fome pra comprar os produtos originais.



Ta, a segunda opção é exagerada, mas vocês entenderam. Não faz sentido a existência dessa lei, a não ser que o objetivo deles fosse unir as pessoas do mundo inteiro e mostrar que não fazemos nada ou muito pouco para melhorar a saúde, educação, condições e qualidade de vida, mas quando se trata da internet há um batalhão pronto para a guerra. Se era isso, só tenho uma coisa a dizer: "Objetivo alcançado"!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Que tal um TinTim?

Sim, pra você que teve a sua infância na década de 90 ou simplesmente assistia os desenhos da época, com certeza viu As Aventuras de Tintim. Inspirado nas histórias em quadrinhos franceses de Hergé, as animações contam a vida de um repórter e seu cachorro, que sempre se metem nas maiores enrascadas (aventuras).

O filme foi feito de uma forma muito peculiar: em modo de animação, mas não muito desenho; realista, mas não com pessoas de verdade. Eu diria que ficou com o gráfico dos jogos de videogame mais recentes. Para mim, essa foi mais uma adaptação bem sucedida. Os personagens e seus bordões foram fiéis aos originais e o novo estilo de cada um ficou bem interessante.


A história foi igualmente bem retratada, contendo momentos engraçados, com especial destaque ao cãozinho Milu, que roubou a cena em vários pontos do filme. Vou resumir o que acontece pra vocês: Tintim começa a investigar uma história, é sequestrado, encontra um aliado, se arrebenta pra fugir do vilão só pra encontrar com ele depois, alguns olés mais tarde ele prende o cara mau e salva o dia. Não, isso não é spoiler, é apenas o que passa enquanto aparece os nomes do elenco.

Novamente, não vi em 3D (contenção de despesas ^^), mas é uma animação e a meu ver toda animação merece ser vista neste formato. Eu recomendo!

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Você já teve insônia?

Até alguns anos atrás, eu me achava imune à insônia, quando eventualmente eu a tive. Uma coisa eu digo: não foi legal. Sempre tive o prazer de deitar na cama e dormir feito pedra, mas quando ela me atingiu pela primeira vez (sim, teve outras), eu vi que querer dormir e não conseguir é uma das piores coisas que tem.

Por que isso acontece? Antes, eu achava que era apenas algo que acontecia aleatoriamente em alguns dias do ano, mas recentemente comecei a reparar um padrão de comportamento nas minhas noites de insônia. Sempre estou muito ligado, com pensamentos a mil quando vou deitar, e aí fico com essas ideias na cabeça e o sono fica só de olho. Quando eu vejo, faz mais de uma hora que estou deitado, de olho fechado e ainda não dormi.



Como prevenir/impedir? Não durma durante o dia e faça atividades que desgastem o seu corpo, assim você o descansará melhor de noite. Não fique pensando tanto antes de dormir (confesso que esse é bem difícil pra mim), pois quanto mais você demorar pra pegar no sono, menos você irá relaxar e no outro dia estará acabado antes mesmo de começar.

Claro, cada um tem uma rotina, uma maneira de dormir, mas não ache que não pode acontecer com você. Todos são e estão suscetíveis à insônia. E ninguém nunca está preparado.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

E se tivéssemos um clone-robô?

Nossa! Seria perfeito. Um robô para fazer toda a parte chata e estressante da vida (trabalhar), enquanto as pessoas ficariam de boa em casa só curtindo. Poderiam sair, fazer coisas para as quais nunca têm tempo. Viajar, visitar parentes, ir ao cinema, sair com os amigos, etc. Até seria possível trabalhar de vez em quando para sair da rotina, mas só um ou outro dia por semana, se bobear, por mês.



Muitos problemas iriam sumir: não haveria estresse no trabalho, pois robôs não têm emoção; não haveria reclamação por trabalho mal feito, porque as máquinas não erram se programadas direito; no transporte não teriam mais incômodos, pois robôs não fedem, não sentem cheiro e não precisam sentar. Se você precisasse usar um ônibus todos eles estariam em pé.

Claro que vai ter comentários do tipo "Ah e os gastos para manter os robôs, pra comprar um em primeiro lugar." Calma, não to pensando por esse lado, e sim pelo lado bom, nas vantagens, não nas complicações. Como a falta de tempo tem sido objeto de alguns posts meus e após uma conversa com minha amiga Joicy, decidi escrever sobre "clones".



Mas isso não é só fantasia e ilusão não. É muito possível num futuro próximo isso acontecer, não com as proporções que expus, mas quase. E se alguém vai fazer isso são os japoneses, aliás eles já começaram. Se algum dia realmente existir, eu já to na fila pra comprar o meu. E você, também vai querer?

domingo, 22 de janeiro de 2012

Refilmagem do Titanic?

Sim, eu sei que to bem atrasado quanto a esse assunto, mas como ainda ta na mídia e o navio, de fato, ainda ta boiando lá, resolvi comentar. Há quase 100 anos, o maior de todos os navios da época bateu num enorme bloco de gelo, rachou ao meio e afundou. Isso todo mundo sabe, aliás há quem pagou para ver esse filme no cinema. Engraçado, imaginei que com o avanço tecnológico que o mundo teve desde 1912 já seríamos capaz de saber a localização dos blocos de gelos, mas espera aí... não tinha gelo dessa vez.



Então por que o navio Costa Concórdia tombou? Bom, parece que o capitão quis "comemorar" o centenário do Titanic um pouco antes da data oficial e de um modo muito estranho e sem graça. Pelo que fiquei sabendo, o tal "capitão" foi o grande responsável pelo tombo do gigante navegador. Então o problema não é a falta de tecnologia, mas a mera falha humana? Parece que sim. De que adianta a tecnologia evoluir se os seus usuários de carne e osso não acompanharem tal evolução??

Um dia ainda quero fazer um cruzeiro, mas quando eu for, me certificarei de que o capitão não é o mesmo do Costa Concórdia.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Como combater a falta de tempo?

Queria tanto ter mais tempo pra fazer as coisas. Ou mesmo pra descansar de fazer as coisas. Mas não é assim que funciona. Parece que quanto menos tempo se tem, mais surge para ser feito. Pra descansar então, durante a noite e olhe lá. Quem gosta de escrever diariamente no blog como eu, ta pior ainda. Eu, pelo menos, às vezes tenho vontade de ficar uma semana sem postar, como se fosse umas férias, mas não faço isso, pois gosto e sei que gostam do que escrevo, é um prazer mútuo. Hoje estou realmente cansado, mas prometo que amanhã faço algo decente aqui... ou não ;D


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Como foi sua semana?

A minha foi interessantemente interessante. Teve altos, baixos, baixíssimos... mas nada me desanimou, porque eu tenho um objetivo e é nele que tenho tentado me focar. Vi um filme legal, tive uns papo cabeça com meus melhores amigos que só fez me lembrar de que eu não os chamo de melhores à toa. Resolvi adiar alguns dos meus objetivos e tentar pensar mais em mim e quem realmente merece. Aproveitei o momento, pois se é só um momento, é preciso aproveitar na hora, porque depois não vai adiantar querer. Tive boas ideias, deixei outras pra lá, tive frustrações e desapontamentos, cheguei no extremo da felicidade e caí no fundo da tristeza e tudo isso em uma semana. Se o mundo vai acabar eu não sei, mas com certeza 2012 vai ser um ano marcante na minha vida.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Não seria isso elementar?

Para quem já leu os livros de Sherlock Holmes e viu o primeiro filme com Robert Downey Jr e Jude Law, viu a versão cinematográfica mais condizente e fiel aos personagens de Arthur Conan Doyle. Há alguns meses a notícia de que haveria um segundo pode ter alarmado os fãs que esperavam que fosse pelo menos à altura do anterior, mas foi preocupação à toa, porque a sequência foi digna e superior às expectativas. Claro, pra quem nunca leu e nem ouviu falar do detetive britânico, o filme é igualmente bom.


Tentarei resumir tudo de bom que há nesse filme. As interpretações estão excelentes, os atores de fato se entregaram para os papéis. Downey Jr e Law estão ainda melhores como Holmes e Watson, respectivamente. O vilão é o Professor James Moriarty, que nos livros é o grande inimigo de Sherlock e, diferentemente da maioria, é citado em vários contos. As características marcantes e tão conhecidas do detetive são o auge da trama. O modo como ele pensa, os disfarces que ele usa, seu grande poder de observação e dedução. Tudo é demonstrado de uma maneira sensacional.



O que eu mais gosto é que, mesmo que em boa parte do filme o físico seja responsável pelos desenlaces, a inteligência é que determina quem é que vai ganhar esse Jogo das Sombras (subtítulo da sequência). Se você gosta de filmes de ação que te impedem de piscar durante, Sherlock Holmes 2 - O Jogo das Sombras é o próximo filme que você tem que ver no cinema. Não tive a opção de ver em 3D, se é que tem essa opção, mas se tiver, veja. Algumas cenas tem efeitos merecedores da terceira dimensão.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Você sabe usar o status do msn?

Parece bobo, mas a maioria não sabe usar de modo correto o status do msn. E é tão simples: se você não está fazendo algo que necessite de 90% da sua concentração, coloque disponível; se você precisa se concentrar em algo, mas está esperando alguém entrar, use o ocupado; se você precisa sair da frente do pc e não sabe quando volta, põe ausente; se não quer que ninguém fale com você, mas ainda assim quer ver quem está on, fique invisível.

O incrível é que tem muita gente que não consegue fazer o uso adequado disso. Vou dar alguns exemplos: vejo uma pessoa online (disponível) com quem quero falar, abro a janela e digo "oi"... muitas pessoas nunca me responderam; ou ainda, responde e quando você fica animado e começa a puxar assunto, ela diz "desculpa, não posso falar agora, to meio ocupada aqui", então:



Alguns utilizam bem o lance do status, por exemplo, deixar ausente e só falar com quem quiser. O ocupado também serve, mas ausente e offline são mais eficazes para evitar conversas indesejáveis. Se bem que eu acho isso ridículo, se não quer falar com alguém, não a tenha no msn, simples. O ser humano é tão complicado. Dos meus amigos mais chegados, eu já conheço o estilo, sei quando eles estão realmente de acordo com seus status ou não. Já os outros, eu arrisco e tento a sorte.


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Ki Bun Tin e as chuvas de verão

Chegou o verão, a minha estação preferida, e com ele, as chuvas da época. Eu sou uma pessoa do sol, mas não ligo para as chuvas, elas refrescam. Mas eu acho engraçado que algumas pessoas parecem ter medo da água da chuva, só porque é fria e cai do céu. Não que eu saia por aí sem guarda-chuva me molhando todo, mas também não me mato se cair um pingo em mim. Vou explicar meus comentários.

Esses dias em minhas idas e vindas de ônibus pela cidade, chovia imensamente. Não estava frio e não fosse os compromissos do dia a dia e as consequências que tal fato acarretaria, tenho certeza de que todos tomariam um banho de chuva. As circunstâncias, porém impediam essa atitude geral. Já dentro do ônibus, os passageiros parecem ter uma compulsão pra não deixar entrar água, como se fosse algum tipo de ácido.

É sério, é só começar a chover que todo mundo fecha as janelas e os alçapões do teto. Só que, como eu disse, não tava frio, pelo contrário, tava muito, mas muito quente. Em vez de receber a chuva para nos refrescar, pelo menos alguns pingos, todos próximos a janela fechavam-nas. Eu fiquei horrorizado com aquilo, mas não tinha como eu explicar ou convencer toda aquela gente a abrir as janelas e deixar o ar, junto a água, entrar. Não sou um herói, por isso saí no tubo seguinte e fui sob a chuva pra casa. Durante o caminho me molhei todo e nada me aconteceu, afinal não sou feito de açúcar, embora a Ki Mei Ga tenha dito que eu sou um doce ;D

Até a próxima!


domingo, 15 de janeiro de 2012

Como ta o seu fígado?

O meu ta viajado. Explico: no ano de 2011 eu experimentei de tudo, para poder dizer do que eu gosto e do que não. De cerveja a vinho, de vodka a uísque, de tequila a espumante. Já tinha tomado alguns desses antes, mas outros foram novidades. Cerveja é bom pra beber no calor e com os amigos. Vinho é bom pra beber no frio e é bom tanto sozinho quanto com a galera, misturado com coca-cola fica bem bom. Vodka é minha preferida, mas não pura, com algum tipo de fruta formando a famosa caipiroska. Uísque é para os fortes, confesso que ainda não estou nesse nível, com energético e com gelo já é forte, puro então, prepare-se pra cair antes do primeiro copo acabar.



Tequila é muito bom, com os amigos e o ritual do sal e limão. Espumante acho ruim, ainda bem que só bebo no ano novo. Sei que ainda tem mais tipos de bebidas para eu conhecer, mas isso já é bastante por um ano. Em 2012, pretendo ampliar ainda mais meus horizontes. Você pode achar que eu sou alcoólatra, mas não, apenas quero e gosto de experimentar coisas novas. Nada em demasia... bom, eu tendo a beber um pouco a mais daquilo que me agrada ^^'!


Sem modéstia posso dizer que eu sei o meu limite e consigo me controlar sem problemas, o que já não é caso de muita gente, e por isso existem tantos dependentes da bebida, acidentes de trânsito e violência doméstica. Não vejo mal algum em beber um pouco com os amigos em um local adequado, desde que nenhum dos que bebeu vá dirigir depois. Na minha opinião, o melhor mesmo é beber em casa, é o que eu faço e por um bom motivo: se eu cair, já vou ta em casa.

Não tenho nada contra quem bebe e muito menos contra quem não bebe, mas sim contra aqueles que não tem controle sobre si mesmos e no fim acabam prejudicando quem não tem a ver. Quer beber, beba, mas não exagere, porque tudo, principalmente bebida alcoólica, em excesso faz mal!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Você se lembra dos sonhos que tem?

Eu sei, é difícil. Posso contar nos dedos as vezes que lembrei. Na verdade, nem isso eu lembro. Enfim, sonhos são muito estranhos. Eu vejo na TV que quando é passado um sonho tem aquela coisa bonitinha do controle da situação, tudo dando certo. Nos meus, eu nunca mando em nada, simplesmente acontece e normalmente dá tudo errado, claro que eu não lembro com detalhes, mas o que eu lembro não é bom.

O bom mesmo é sonhar acordado. Ah, aí sim hein, você manda, controla tudo ao seu redor, faz o que quiser, salva o mundo e fica com mocinha; é o vilão, sai vitorioso e escraviza a humanidade; faz o quer da vida e ninguém te enche o saco. Mas no melhor ponto você começa a dormir e tudo sai do controle novamente: o mundo não é salvo e a mocinha morre; aquele cara que você acha um babaca entra no teu sonho, vira um herói e estraga teu mundo pós apocalíptico; você não faz aquilo que quer e sua mãe e seu chefe insistem em aparecer repetidas vezes.



E como começam os sonhos? Bom, teve uma parte do filme Inception (A Origem) que eu achei que explica tudo: os sonhos não tem começo. Você simplesmente aparece no lugar e na situação, você surge do nada e vai pra lugar nenhum, enquanto vira na cama. É mágico!! Eu gostaria de viver esses sonhos de modo tão intenso quanto demonstram na TV. Normalmente, eles são só parte da minha noite de sono, quando eu lembro é legal, fico tentando montar a cena e visualizar a loucura, mas quando não, é como se não tivesse existido.

Tentarei dominar meus sonhos essa noite para lembrar deles amanhã. E vocês? O que tem pra me contar?

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Você tem medo de sexta-feira 13?

Eu já tive. Quando era mais novo, eu era bem supersticioso. Hoje, eu me contento em evitar passar debaixo de escadas. Também desviro o chinelo quando cai errado, mas mais por uma questão de estética. Os motivos de tanto auê em torno da sexta-feira 13 são muitos, mas nenhum é oficial historicamente. O fato é que isso sobreviveu e chegou aos dias de hoje firme e forte.

Na década de 80 até gerou uma franquia própria de filmes, Sexta-feira 13, cujo personagem principal era um assassino que usava uma máscara de hóquei e uma espada, Jason. Com o passar do tempo, o gênero do filme foi de terror a comédia, e isso contribuiu para diminuir o misticismo em volta do dia. Na minha adolescência, eu acreditava que não poderia ter "azar" durante a sexta-feira 13, pois isso me faria ter longos anos de "azar".

Depois dos 16, deixei de ser besta, e passei a curtir e zoar o dia. E descobri que é bem mais divertido assim. Se você acredita nessas superstições do dia, tudo bem, é apenas uma fase. Então aproveite, porque é sempre bom ter histórias pra contar.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Qual é o seu nível de missão?

O do Tom Cruise é impossível e ele sempre cumpre. E isso não é brincadeira, eu lembro de uma vez ter jogado um jogo de missão impossível em que os níveis de dificuldade eram fácil, médio, difícil e impossível. Chega de curiosidades, vamos ao filme.

O filme já começa com o Ethan Hunt (Cruise) na prisão. "QUÊ??!!!" Isso mesmo, mas logo é resgatado e recebe a sua missão e de brinde ganha uma equipe (esse combo é melhor que qualquer um do McD ou do BK). Tudo tava indo bem até que o local da missão onde eles estavam explodiu (depois que eles saíram, é claro) e eles levaram a culpa. Aqui tem um fato importante, essa cena da explosão foi na Rússia. Aí surge o centro da trama, após essa explosão os russos passam a culpar os EUA e a IMF (agência de espiões pra qual o Ethan trabalha) é fechada. Com isso, ele os outros três que estão com ele se tornam o que restou da IMF.


Confesso que não notei muita diferença no filme por causa disso. Eles continuaram com todos os aparelhos que precisavam, usavam carros que só se ve em exposições, e tinham todos os acessórios necessários. Como fã da franquia, eu gostei muito do filme, mas não só como fã, como crítico também. Mesmo quem não é fã e não assistiu nenhum dos anteriores, iria gostar desse, pois ele tem muitas partes engraçadas e boa cenas de ação, o que na minha opinião foram ao mesmo tempo reais e forçadas. Ao mesmo tempo que o Tom Cruise fazia algo impossível pra alguém da idade (não digo que ele é velho, mas não tem mais 20 anos), ele apanhou e errou muito também.

Antes de ver o filme, ouvi que o 3 era melhor pois tinha mais cenas de ação. Após, eu confirmei isso, mas então pensei: poxa, a maioria dos filmes hoje é feito já se pensando em uma trilogia, M:I pode não ter sido iniciado assim, mas acabou sendo, logo M:I:3 foi o fechamento da primeira trilogia, é claro que tinha que ser uma película esmagadora. Missão Impossível 4 é, a meu ver, o começo da segunda, e pra um primeiro capítulo, começou muito bem.

Para os que seguem desde M:I, podem esperar um ótimo filme, fiel à caraterística da franquia e com várias referências ao terceiro filme. Não vi em 3D, então não posso dizer se vale ou não, mas o filme em si com certeza vale. Esse eu recomendo!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Mortais ou imortais?

Começando mais um post indagação/crítica de filme, então se você não gosta de spoiler, pare de ler agora.

Imortais é mais um filme sobre mitologia grega e o personagem escolhido pra principal da vez foi... Teseu. O carinha que matou o Minotauro, mas essa história é contada de modo diferente na atual película. Vamos à trama, tudo gira em torno da volta dos Titãs (os caras fodas que existiam antes dos deuses). Eles estão presos em uma jaula magicamente trancada, mas existe uma arma que pode destrancar, o arco de Epiro. Hipérion, o vilão do filme, tem um exército gigantesco e está à procura da arma. Outra personagem importante é a Oráculo que ve o futuro (dãdã!) e, junto com Atena, dá o toque feminino à história.


Agora vem a parte legal, as críticas. Eu poderia dizer que o filme é ótimo, que tem bons efeitos e um belo elenco e enredo consistente, mas eu não sei mentir. O filme é ruim, alguns efeitos são bons (não valem o 3D), o elenco é bom e o enredo é horrível. Pra começar, os Titãs são basicamente os bonecos de massa dos Power Rangers. Sério mesmo!! Não aparecem todos os deuses, imagina-se que para enfrentar os grandes Titãs (nos quais deveria estar Cronos, o pai de Zeus, Poseidon, Hades, Hera, Deméter e Héstia) todos eles deveriam aparecer para a luta, mas não, só vão alguns e eles morrem. Achei que deuses eram imortais e mais, achei que o nome do filme era Imortais.


Fora a falta de fidelidade às características dos deuses. Zeus é um arrogante, Atena é uma adolescente nada sábia (mas muito bonita ^^), Poseidon é o irmão mais novo e rebelde, e Hermes é o filho desobediente. A parte mortal do filme foi mais interessante, Teseu foi um bom herói, mas na minha opinião o Perseu de Fúria de Titãs foi bem melhor. Bom, espero que tenha sido um bom treinamento, pois o ator que fez o Teseu é o mesmo que fará o novo Superman.

Essa semana pela primeira vez vai ter seguidinha de crítica de filme, pois vou novamente ao cinema, desta vez assistirei Missão Impossível 4: Protocolo Fantasma. Amanhã eu conto como foi. Até!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Por que as pessoas fazem isso?

Tem cada coisa que as pessoas fazem que me deixam espantado. Uma é algo mais de costume mesmo e eu não consigo entender o porquê, outra é um ato nojento e contra si próprio.

O primeiro que vou comentar é sobre o fato das pessoas darem duas voltas com a chave na porta. De boa, o que elas acham que vão estar mais protegidas assim? Que os ladrões só arrombam portas com uma volta dada? Ou que duas voltas vão dificultar a vida dele a ponto dele desistir do roubo? Eu fico imaginando o ladrão tentando abrir a porta de uma casa trancada com duas voltas: "Droga! Deram duas voltas na chave, isso vai dobrar meu trabalho. Ah, vou embora!" Acho que não, né?

Além disso, dar só uma volta é tão mais prático. Deu uma volta já ta trancado, vai embora ou se tiver chegando, fica tranquilo. E já pensou, se você ta chegando super apressado e com vontade de ir ao banheiro, você já ta sentindo a primeira gota na cueca/calcinha, você da a primeira volta e tenta entrar, mas putz, você trancou com duas voltas pra sair e até você entrar... bom, digamos que terá uma calça e uma roupa de baixo a mais pra lavar.



O segundo ponto é algo que me dá muita raiva, pois é tão fácil de não fazer. De vez em quando, eu tenho o desprazer de ver pessoas jogando lixo do ônibus ou do carro na rua. Ambos tem lixeira dentro, mas as pessoas fazem questão de jogar pela janela. No ônibus eu acho ainda pior, pois a pessoa precisa ser muito cara de pau e sem vergonha pra mostrar pra todo mundo que ela joga lixo na rua pela janela, QUANDO TEM UMA LIXEIRA DO LADO DELA! E eu já vi isso acontecer, a lixeira estava na frente da pessoa, mas ela preferiu levantar e jogar pela janela.

O pior é que ninguém pensa nas consequências de tal ato. Um mero papel de bala jogado pode ajudar a entupir um bueiro e numa época de chuva forte ajudar a alagar a casa da pessoa que jogou o lixo na rua. To exagerando? Talvez, mas pode acontecer. Eu prefiro não arriscar. Até mesmo porque nossos filhos e netos vão viver nesse mundo e eu pergunto: que tipo de mundo você quer deixar para eles? Um poluído e cheio de lixo pelas ruas ou um limpo sem sujeiras? Pense nisso antes de jogar lixo pela janela. Você não vai morrer se jogar na lixeira ou segurar e esperar chegar em casa para jogar.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Por que acordar cedo no domingo?

Hoje eu acordei cedo porque... bem, até o domingo antes da minha prova, eu terei aulas aos domingos de manhã. Enquanto eu ia para a aula, notei que tinha muita gente na rua pra um domingo de manhã e me perguntei por quê? Um dos meus pequenos e preferidos prazeres da vida é dormir até mais de 10h no domingo e essas pessoas que, vocês vão concordar, podem, não aproveitam.

Na rua da minha casa, antes de chegar à esquina vi um dos vizinhos "cavucando" na calçada de sua casa, ou seja trabalhando às 8h DA MADRUGA DE UM DOMINGO POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE.
Ao "dobrar" a esquina, eu vi um casal de namorados namorando (óbvio? talvez), mas o que será que fez esses dois adolescentes insanos levantar tão cedo num domingo para se beijar? Eles não podiam esperar até depois das 10h, quando ambos estariam dispostos e sem sono?



Durante o resto do caminho vi pessoas arrumadas, andando ou paradas em pontos de ônibus, para ir à igreja. Tá, contra isso não posso falar muito, mas na boa, domingo de manhã? Eu, particularmente, prefiro dormir, embora, como já dito, não tenho mais essa opção pelos próximos 5 domingos.

Enfim, fiz esse post porque me senti inspirado, mas prometo que vou parar de reclamar por não poder mais dormir de manhã. Aliás, hoje à tarde, eu passei duas horas tirando um cochilo daqueles, e posso dizer que foi muito bom.

Boa semana a todos!!!!!!

sábado, 7 de janeiro de 2012

E se eles existissem?

Nos últimos dias eu tenho estado muito maluco das ideias (e olha que eu já sou normalmente assim), mas enfim... Tudo devido a um imagem que eu vi e que me deixou com milhões de pensamentos na cabeça. E se fosse real? E se eles existissem? Eu to falando de Pokemon. Sabe aqueles bichinhos fofinhos, quase todos, que passava na record e hoje ta na redetv? Pois então, esses mesmo. O quê? Nunca ouviu falar deles?? Google it!

O que estive pensando é: ia ser tão legal se pokemons existissem mesmo. Iriam ter batalhas e eles iriam ter poderes, ia ser muito divertido. Animais de estimação são legais, mas pokemons, são muito melhores. Eu já até sei a minha equipe perfeita, pra batalhas eu digo, porque por mim eu teria todos. Talvez fosse bom, talvez não, conciliar isso com a vida profissional seria complicado. Afinal não podemos sair de nossas casas e abandonar nossas vidas pra sair numa "jornada pokemon".



Seria no mínimo diferente ter pokemon. Um de água poderia ser útil nas atividades domésticas. Um de fogo dispensaria isqueiros e fósforos. Um de planta seria ideal na jardinagem. Um de veneno seria... bom, o de veneno pra equipe rocket né... hehehehehe. Nessa minha obsessão recente eu acabei achando um vídeo que muito provavelmente foi feito por fãs, de um trailer de um filme com atores reais, de pokemon. Eu achei bem agressivo e direcionado pra quem curtiu o anime no começo, mas não deve acontecer até porque ele vai contra tudo o que o anime transmite para as criancinhas que assistem: um Ash adulto; que pega a Misty; uma equipe Rocket fria e poderosa; e um Pikachu fraco e sem graça.

Mesmo que não existam de fato, ainda dá pra se divertir de várias maneiras com pokemon, seja com os jogos da Nintendo, os jogos online, os jogos de cartas, o mangá ou mesmo o anime. Como ficou claro nesse post, eu gosto, e você?

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Ki Bun Tin e a gripe

Faz tempo que não apareço para contar uma história né?? Pois isso tem uma grande explicação, sim as férias e as festas de fim de ano têm parte da culpa. Hoje irei falar sobre um caso complicado que eu tenho, não, não é com a Ki Mei Ga, embora esse também seja complicado. Esse caso que eu tenho é algo maior, ele é tórrido, selvagem, foge dos limites da compreensão.

Ela vive atrás de mim, sempre que eu me descuido, ela me possui, toma conta de mim e não me deixa fazer nada. Ela me joga na cama, me cansa, me esquenta, esgota minhas energias, me isola do mundo, não deixa ninguém chegar perto e faz de tudo para ficar o máximo de tempo que puder, mas essa é uma relação unilateral, porque eu não gosto dela, quero-a longe de mim.



Faço o que posso para me livrar dela, mas ela é tão forte. Meus amigos a conhecem e me ajudam a combatê-la quando ela chega, mas a verdade é que eu preciso resolver e lidar contra ela, sozinho. É difícil, ela é ciumenta e dá um jeito de expulsar a Ki Mei Ga sempre que ela vem me visitar. Não me deixa estudar na casa do Ki Cre Do para as provas. E me atrapalha quando vou ao cinema com o Ki Dah Ora.

Depois de usar todas as minhas armas, ela vai embora e eu fico aliviado e alerta para que ela nunca mais volte, mas ela sempre volta, não importa que eu faça. Se ela tem nome? É claro que tem, o nome dela é Gripe e eu tenho certeza que você tem uma dessas que te persegue desde pequeno. Sem muitos detalhes vou dar um conselho, não ache que pode deixar um pedaço dela dentro de você, isso não adianta, sempre jogue fora tudo que ela deixar com você. Só assim você vai se sentir melhor, acredite, experiência própria.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Por que só valorizamos quando perdemos?

Pode ser um amor, uma amizade, um momento, uma situação ou um costume. Normalmente é o que acontece. Recentemente, eu senti falta de algo que eu sempre tive e de repente comecei a lembrar e ver como eu era feliz e não sabia. Pode parecer coisa pequena, mas eu sinto muita falta de dormir de manhã, de levantar às 9h e começar a funcionar às 10h.

Acho que quatro anos fazendo faculdade de tarde me deixou assim, mas, caros leitores, foi muito bom. Pena que foi, talvez um dia volte a ser, quem sabe? Só sei que no momento eu sinto falta de dormir 8h por noite. Sinto falta de acordar disposto; de dizer que ia acordar 7h da manhã no outro dia pra correr e na tal hora desistir, pelo simples fato de poder fazer isso; sinto falta de levantar meia hora mais cedo e dizer cheio de orgulho "Ah levantei mais cedo hoje".



Hoje, a mais de 7 meses trabalhando, tento todos dias dormir antes das 23h (nunca consegui) ou pelo menos antes da 0h (tenho conseguido nos últimos dias), pois sei que das 6h30 eu não passo. Sei que essa é a rotina de muita gente e eu tive, digamos, sorte pelo turno do meu curso ter sido à tarde. Estou apenas dizendo o que tem me feito falta para aproveitar melhor os meus dias, porque querendo ou não, o sono é importante para os nossos corpos. Alguns "precisam" de mais outros de menos, não tem como julgar.

Essa foi a primeira de muitas novas e curtas indagações que eu pretendo fazer ao longo do mês. Para uma maior interatividade, diz aí do que ou de quem você sente falta e valoriza mais hoje do que quando tinha?

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O que acontece agora?

É o que muitos de vocês devem estar perguntando sobre os contos do blog. Antes de dar a resposta, irei testar a memória de vocês. Lembram-se quando eu expliquei por que parei de postar os contos em abril do ano passado e só voltei em outubro? Foi o fato de ter duas coisas importantes para me concentrar e pouco tempo para tanto, na caso da época, a minha procura por emprego e escrever os contos. É claro que você percebeu o que eu vou comunicar, não é mesmo? Então sem mais delongas, sim, eu vou parar os contos mais uma vez. Agora, explicarei o por quê (separado e com acento).

Em posts anteriores, mencionei que tentarei concurso público. Acontece que a prova é daqui 40 dias e até essa semana (ano) estava tudo indo bem, mas de repente eu comecei a sentir o que senti quando procurava emprego, que não iria dar conta dos dois, então resolvi mais uma vez dar um tempo nas séries. A grande diferença desse intervalo para o anterior está no público e na popularidade. A primeira vez estava apenas no começo e pouca gente me seguia de verdade, os que iam e liam, eram "obrigados" pelo orkut, então eu não tive muito problema em parar.



Desta vez tem muita gente que acompanha, que espera e ta doida pra saber o que acontece nas tramas. Eu sei que vou deixar muitos curiosos e ansiosos pra saber o que vai rolar, alguns fãs mais fervorosos vão querer me bater, mas como diz meu avô vontade é coisa que dá e passa. Só que o outro diferencial é que eu já tenho uma data pra voltar. É isso aí, dia 12/02 é a prova então dia 13/02 vocês já poderão ler o capítulo 13 de Zé Mané (coincidência né?). Para diminuir a fúria desses fãs, eu concluí a segunda matéria do Rubens na série Tudo Por Uma Notícia.

Tenho certeza de que irão entender, pois não estou parando por qualquer coisinha, essa, talvez seja a minha grande chance e eu vou fazer de tudo para aproveitá-la. Peço desculpas a todos, mas só para deixar bem claro, o blog não vai ficar a míngua, ainda haverá indagações, por isso apareça ae diariamente. Talvez até o Ki Bun Tin volte esporadicamente.

É isso, meus caros leitores, agradeço pela compreensão e até a próxima indagação!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Liberdade


“De carona com uma viatura que passou por nós, Josué e eu chegamos à fazenda Império Colonial a tempo de ver a fraca e inútil resistência do Coronel, e sua consequente prisão. É claro que os capatazes do dono das terras não tiveram a menor chance contra a tropa de choque da polícia federal. No entanto, foi divertido vê-los tentando.
Ônix levou um tiro no ombro e um na perna, soube que ele foi atingido na barriga também, mas não em um órgão vital, pois, como depois fui informado, ele sobreviveu. Ao ver seus homens caindo, o Coronel ainda tentou fugir pelos fundos da fazenda, porém foi surpreendido pelo helicóptero do qual saía o meu grande amigo, o Coronel, um verdadeiro e patenteado, Leonel Macedo.
Certo, aqui farei uma pausa para explicar alguns pontos. Primeiro, sobre a carta do Josué. Eu fiquei muito intrigado em como um escravo conseguiu me escrever e enviar uma carta, então na minha primeira noite na fazenda, eu perguntei, ao que ele me respondeu.
– Temos uma única folga por semana, aos domingos. Do meio dia às 16h nos é permitido ir à cidade. Eu sempre aproveitava meu tempo na biblioteca pública, lendo e nos computadores acessando os jornais de outros estados e países. Há algumas semanas eu li a matéria que o senhor fez sobre o tráfico de animais na Amazônia, vi como o senhor ajudou lá e imaginei que poderia fazer o mesmo por nós. – Josué me explicou.


Assim que li a carta, fiquei comovido e motivado a ajudar, mas sabia que não ia poder fazer muito sozinho e isso me leva ao segundo ponto que quero explicar. Mesmo sem querer, aos 18 anos tive que servir o exército. Foi quando conheci Leonel.
Fomos logo um com a cara do outro, com a amizade dele o meu ano lá passou bem rápido e no fim, ele decidiu seguir carreira, enquanto eu voltei para o jornalismo. Mantivemos contato, porque nossa amizade é dessas que dura para sempre e também, porque é sempre bom um repórter ter contato com alguém das Forças Armadas.
 Ele me disse que se e quando eu tivesse provas de que a fazenda do Coronel era mesmo baseada no sistema de escravidão para avisá-lo e ele iria o mais rápido possível onde eu estivesse e me apoiaria. Assim que eu cumpri minha parte, ele cumpriu a dele. O que posso dizer? Funcionamos desse jeito...”
– Você ta um caco hein herói. – disse Leonel ao ver Rubens.
– Herói, eu? – espantou-se o jornalista.
– Sim, foi você que arriscou sua vida por pessoas que nem conhece.
– E você sua carreira. – devolveu o repórter.
– Rubens, para! Puxar saco não combina com você. – disse o amigo.
– Você me conhece. – Rubens disse e os dois amigos se abraçaram.
– Ele ta certo, seu Rubens. O senhor é um herói, pelo menos pra mim e todos os meus amigos. O senhor nos salvou e nunca esqueceremos isso. – disse Josué com o ferimento estancado pelos paramédicos do exército.
– Ah que isso... ei, o que vocês tão fazendo? – perguntou o jornalista, quando dois ex-escravos o levantaram e o jogaram para o alto juntando todos os outros fazendo uma verdadeira festa.
“O que aprendi com isso tudo? O quão importante é a liberdade e que há ainda muitos lugares no Brasil ignorados pelo Governo Federal. E às vezes é preciso fazer algum barulho para que a justiça seja feita, e outras, nem isso é suficiente. Nesse caso, o que aconteceu? Como ficaram Josué e os outros?
Bom, Josué foi tratado e passou um tempo em recuperação no hospital. A escritura da fazenda foi dividida entre todos que sempre trabalharam nela. Antes de decidirem o que fazer, os ex-escravos desmancharam a casa grande e construíram casas menores para si. A maioria continuou no trabalho rural, mas com horários e remuneração digna e sob seu próprio comando. Outros tentaram a sorte na cidade, obtendo ou não sucesso, eles tiveram a liberdade e esse sempre foi o objetivo. O Coronel e Ônix? Na cadeia. Por quanto tempo? Não sei, mas garanto que eles nunca mais vão escravizar ninguém.
É isso, caro leitor! Preze sua liberdade e não a desperdice, pois como você percebeu ainda há muitas pessoas em nosso país que não sabe o que é isso. Viva a vida e faça as escolhas que lhe aprouver, pois você é livre pra tanto.”
                                                  
                                                                     Rubens Fonseca.