Total de visualizações de página

sábado, 22 de julho de 2017

Quando teremos um presidente decente?

Essa é a grande pergunta, não é mesmo? Porque tá bem complicado já há um tempo. Parece que entra um pior que o outro e sempre quem paga somos nós, o povo que batalha todo dia para sobreviver com o mínimo de dignidade. Eles roubam e depois cobram da população para remendar o buraco da economia. É como se um ladrão te roubasse e ainda pedisse para você pagar o táxi para ele fugir.

O que dá mais raiva é que eles falam que é necessário cortar gastos diminuindo os recursos utilizados para importantes áreas como saúde, educação, segurança e outros, mas eu não vejo nenhum político falando em diminuir o próprio salário ou seus benefícios exagerados e sem motivos. O cara ganha mais de R$ 10.000,00 e ainda precisa de um 'vale-paletó'. Incrível como ninguém faz nada a respeito.


Outro ponto interessante é que para aumentar é muito fácil, de um dia para o outro. Agora, para diminuir, vixi, que novela! Tem que passar pela câmara, pelo senado, voltar para a câmara, revisar tudo para ver se é possível e passar para o presidente, que pode simplesmente dizer não. Só nisso foi uns 6 meses. 

Vamos falar sobre o assunto do momento: o aumento do combustível. Nosso excelentíssimo presidente decidiu aumentar o imposto sobre a gasolina, como se já não tivéssemos o preço cobrado mais caro do mundo. E foi tipo, ele disse na quinta e na sexta já todos os postos tinham aumentado. Isso que é obediência, hein. Será que eles também pulariam da ponte Rio-Niterói se o Temer dissesse?

O pior foi o discurso que nosso presidente mordomo de vampiro fez. Ele teve a coragem de dizer que "a população vai compreender". Qual é? Sério? Acho que falo por todos quando digo: "Não, Sr. Presidente, nós não vamos compreender por que a população tem que pagar mais impostos quando o senhor mesmo é um p#$@ de um corrupto!". E falando nisso, por que mesmo o Temer ainda não está preso? Já não tem prova suficiente que ele é ladrão e não está nem aí para o povo?


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Quais os seus planos para 2017?

Os dias têm passado cada vez mais rápido e consequentemente, os anos. Mais um se passou e estamos a poucos passos de um novo ano. Nessa época é normal pensarmos em mudanças, planos e objetivos para o futuro. As tais promessas de ano novo. Mas por que é tão difícil cumpri-las? Todo fim de ano é a mesma coisa: promessas e mais promessas. E então o ano seguinte tem início e nada muda.

Que tal quebrar esse paradigma? É o que eu pretendo fazer em 2017. Para isso tereí de vencer meu pior inimigo: eu mesmo. E isso vale para todos, nós somos nosso maior obstáculo. É preciso muita força de vontade para vencê-lo. Até hoje não consegui vencer, mas quero (e espero) ter a força necessária para mudar isso em 2017.



Sei exatamente o que fazer, mas a prática é tão diferente da teoria. Olhar para o bem maior, ter um panorama geral da situação, não deixar me abalar com as pedras no caminho e lembrar qual é o meu verdadeiro objetivo. Contudo os pequenos problemas do dia a dia são mais que suficientes para nos quebrar de maneira tal que esquecemos tudo pelo que estamos lutando.

Não! Dessa vez será diferente! Venha o que vier, irei enfrentar e vencer! Cansei de ficar estagnado. está na hora de avançar. O país está em crise, o mundo está em pedaços, mas não é por isso que temos de ficar para baixo. Irei lutar contra tudo e contra todos. Faça isso você também. Faça de 2017, o seu ano. Chega de ficar só nas promessas. Está na hora de agir.

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Por que mudamos tanto de opinião?

Já dizia Raul Seixas "Eu prefiro ser uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo". Isso é algo muito bom, pois nos dá a possibilidade de ver as situações sobre outra perspectiva. Entretanto, às vezes, é melhor manter uma opinião ou decisão sobre algo. Eu, por exemplo, estou passando por algo assim. Gosto muito de uma mulher, mas nunca falei nada, embora acho que ela saiba o que sinto. E há um bom tempo tenho tido um conflito interno entre desistir e investir nela.

Eu costumava dizer que "é errando que se acerta". Bem, não penso mais assim. Nem sempre um erro leva a um acerto. E se o erro foi cometido no momento em que deveria-se ter acertado? Existe uma coisa chamada sincronia. Alguém uma vez disse "Se um cavalo selado passa na sua frente, você deve montar, pois ele não vai passar uma segunda vez". Mas e se você montar o cavalo errado? E se arrepender depois de ter montado?



Talvez tudo seja uma questão de saber qual cavalo montar. E é aí que está a grande questão, não é? Como saber qual é o cavalo certo? Na vida, raramente recebemos uma segunda oportunidade para uma mesma situação, por isso é preciso saber aproveitar quando ela surge. Voltando ao meu caso, pode ser que o pensamento de querer investir seja uma maneira do Universo tentar me dizer que tem um cavalo vindo e se eu não montá-lo, outra pessoa o fará, como já aconteceu antes ¬¬.

A mulher em questão é do meu círculo social, o que torna tudo ainda pior. Tenho medo da rejeição. Dois cenários podem surgir. Em um deles, ela me enxerga como eu quero e seguimos nossas vidas de modo conjunto. No outro, ela não quer nada comigo além de amizade e eu fico decepcionado e sem rumo por um tempo. Acho que não tenho como saber se não tentar, não é mesmo? O medo é o que me separa de uma possível felicidade. Entre crenças e possibilidades, minha opinião vai mudando. Tentar ou desistir? Hoje quero tentar, amanhã já não sei...

sexta-feira, 19 de junho de 2015

O que fazer no frio?

O frio sempre foi meu grande nêmesis. Quando ele chega, já sinto minhas forças diminuírem. A única coisa que tenho vontade de fazer é dormir, ou ao menos ficar deitado. É claro que tenho obrigações a cumprir, mas e quanto à hobbies que exigem certo empenho e dedicação? Quando não se tem que fazer algo, é mais fácil não fazer.


No meu caso, quem acaba pagando o preço pela minha fraqueza é o meu bloguito. Estou numa fase nova no meu trabalho, em que eu realmente tenho que trabalhar. Sinto tanto por isso, mas quando chego em casa, a minha cama praticamente me puxa pra ela. Pretendo nos próximos dias tentar lutar e vencer esse meu inimigo natural.

Enquanto isso, os posts serão mais escassos e espaçados, mas logo voltarei com a corda toda.

terça-feira, 9 de junho de 2015

O que não mata, fortalece?

É isso o que diz a música Stronger (What Doesn't Kill You) da Kelly Clarkson, que aliás é a minha preferida da cantora. Além de ser uma música dançante e agitada, é inspiracional e passa ótimas mensagens. "O que não te mata, te deixa mais forte" (ou te fortalece), esse é o trecho principal do refrão. Ou seja, a cada queda que temos, a cada derrota que sofremos, se não morrermos, podemos levantar e voltar mais fortes.


Outro trecho é "Não significa que estou solitário(a) quando eu estou sozinho(a)". Quando acabamos de sair de um relacionamento ou estamos há muito tempo sozinhos, as pessoas perguntam se não nos sentimos solitário. A resposta é nem sempre. Às vezes é bom tirar um tempo para si mesmo e refletir sobre a vida.


terça-feira, 2 de junho de 2015

Quem não gosta de férias?

O que todo trabalhador espera no ano são as suas férias. Seu merecido descanso depois de um ano de trabalho suado, estressante e exaustivo. É a época de relaxar e curtir, de viajar, rever os parentes distantes e fazer tudo o que não dava tempo antes. Ou, às vezes, é uma oportunidade para se investir no futuro.


Hoje foi meu último dia de férias e eu a sacrifiquei para estudar para dois concursos, um dos quais já fiz e outro é no próximo domingo. Não foi fácil abdicar de uma viagem, de vadiar um dia inteiro, de não fazer nada de útil, mas eu vejo isso como um processo necessário. Para se alcançar um objetivo, por vezes, é preciso fazer sacrifícios.


Eu não me sinto tão mal por 'perder' minhas férias, porque afinal ano que vem tem mais.

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Estão prontos para o feriado?

Hoje vamos começar um novo 'quadro' aqui no blog, que é A Música da Semana. E para começar nada mais condizente do que Holiday, do Green Day. Em um ano cheio de feriados, esse vai ser só mais um, mas haverá um grande hiato até setembro, então é melhor aproveitar bem. E aí, já planejou seu feriado?


domingo, 31 de maio de 2015

Que tal iniciar uma nova fase?

A nossa vida é feita de fases. Às vezes são fases grandes, às vezes são pequenas. Algumas fases só percebemos que acabou quando já estamos em outra. Como por exemplo quando passamos da infância para a adolescência. Como adultos já temos uma maior consciência ao trocar de fase. E isso é bom, porque muitas vezes algumas pessoas ficam presas em uma realidade só delas que as impedem de evoluir.

Outra coisa que acontece é iniciarmos um novo momento e depois de um tempo percebemos que não era aquilo que imaginávamos. Ou simplesmente as coisas não andarem como planejado. Quando isso acontece é preciso mudar, pois persistir em algo que não te satisfaça é a pior coisa. Algumas vezes mudar de fase significa perder amizades no processo. Isso é chato, mas não é o fim do mundo.


São nessas horas que você percebe amigos que eram deixados em segundo plano e que poderiam muito bem ter sido seus parceiros há muito tempo. Entretanto, eu acredito que há uma época para tudo nessa vida. Os eventos ocorrem quando devem ocorrer. Não antes, não depois.

Não dá pra saber se a próxima fase que iniciarmos será a melhor de nossas vidas, mas podemos fazer nosso melhor para que seja.

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Como seria viver em Gotham?

A maioria dos leitores já deve conhecer meus posts de crítica de cinema. Hoje vou iniciar os posts de crítica de série. Nem sempre vão ser séries novas, mas pode servir de sugestão para quem ainda não viu. Hoje será uma série nova, mas que acabou há algumas semanas já.

Gotham conta a história de como a cidade era antes do Batman, mais especificamente quando Thomas e Martha Wayne foram assassinados. Então temos a oportunidade de ver um jovem Bruce Wayne querendo justiça pela morte dos seus pais. Um iniciante detetive James Gordon com vontade de limpar o corrupto setor policial da cidade. E há ainda aparições especiais daqueles que um dia serão poderosos inimigos do homem morcego.


Ben McKenzie interpreta James "Jim" Gordon, o policial mais justo e correto que você já viu. Ele arrisca a própria vida para desvendar um caso. Ele trabalha no departamento de homicídios e quase sempre se envolve com as duas famílias mafiosas que mandam em Gotham.

Robin Lord Taylor interpreta Oswald Cobblepot, o Pinguim, no início de sua carreira de criminoso. Na minha opinião, ele é o grande destaque dessa temporada. Outro que mandou muito bem em sua interpretação foi Donal Logue que fez Harvey Bullock, o parceiro corrupto e ranzinza, porém bom, de Jim Gordon.


Nessa primeira temporada todas as histórias envolvendo os futuros vilões do Batman e do próprio Bruce foram bem coerentes e em nada alteram a linha temporal do Batman adulto. Nessa série podemos ver que a DC realmente pegou o jeito e está na frente da Marvel no quesito séries. Espero que continue assim.

Gotham, eu recomendo!

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O que é o 666?

Chegamos ao post 666 e por isso vamos falar um pouco sobre esse número polêmico e emblemático. Esse número é o chamado número da besta que é citado no livro Apocalipse da Bíblia Sagrada. A besta que é um dragão de 7 cabeças marcava as pessoas com esse número, na mão direita ou na testa. Essas pessoas adoravam a besta e foram amaldiçoadas por isso.

O 666 é visto como o número do mal, do Capeta, do Satanás. Supersticiosos e religiosos não gostam nem de ouvir falar desse número, afinal para quem acredita, essa parte do Apocalipse ainda vai acontecer e você não vai querer ser marcado com o número da besta.



Há também aqueles que não levam tão a sério e aproveitam para lucrar em cima disso como os vários filmes que existem a cerca do tema.


Aqui em Curitiba tem um ônibus chamado Novo Mundo, cujo número é 666. Coincidência? Eu acho que não. Alguém aí teria coragem de entrar nesse ônibus? Eu não tenho e pretendo nunca entrar.

Alguém aí quer ir para o novo mundo?

Um dos meus jogos favoritos é Pokémon, e lá os monstrinhos são numerados. Hoje estamos na sexta geração e já passa de 700 o número de pokémon. Se alguém pensava que o pokémon 666 fosse ser assustador, se enganou completamente pois ele é simplesmente a borboleta mais bonita que já criaram.

Vivillon, o pokémon 666

E você? Tem medo do número 666?