Total de visualizações de página

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A tal da Oktoberfest - parte 2

A Vila Germânica

Assim que desci do ônibus, logo após todos os outros, senti a chuva que começava a cair e notei que estávamos em uma rua sobre a qual havia uma ponte que ligava as duas quadras. Em uma delas, uma enorme construção ao fundo, e na frente uma série de rampa que levava à ponte e a bilheteria da Oktoberfest. Na quadra da frente, a Vila Germânica só nos esperando. Para chegarmos até lá faltava o último e mais importante item do kit da viagem, o ingresso. Enquanto MacNa organizava e conversava com todo o grupo, que estava em baixo da ponte para não se molhar muito, Tex corria atrás dos ingressos que estavam com o guia, que até então só tinha nos dado dor de cabeça. Depois de alguns minutos, sob chuva e todo molhado, Tex voltou com os ingressos e, juntamente com MacNa, distribuiu para todos. Após recebermos os ingressos, fomos lembrados do horário em que deveríamos voltar: 5h da manhã. Eram 19h da noite.



Com o ingresso na mão, a galera subiu correndo a rampa. Em sua base ficou apenas eu e os grupos de Tex e MacNa. Os dois organizadores conversaram mais um pouco e combinaram as últimas coisas e então seguiram rampa acima, e eu junto com eles. Atravessamos a ponte, nos molhando mais um pouquinho, e finalmente chegamos do outro lado. Ao descer as escadas no final da ponte, fiquei maravilhado com o que vi, parecia que eu estava na Alemanha, embora eu não saiba como é la, mas deve ser parecido.

Enquanto eu estava bestificado com a Vila e suas construções, os dois grupos foram cada um em uma direção diferente. E um pouco antes de eu perceber o que estava acontecendo, MacNa me chamou para ir com ela e seus amigos. O grupo era composto por ela e mais 5 pessoas, sendo no total 3 homens e 3 mulheres. Depois eu descobri que os nomes dos homens não era nenhuma novidade pra mim, pois já tinha conhecido dois com esses nomes no ônibus, Hans e Folklor. As mulheres se chamavam Isis e Mila.

Eu os acompanhei até eles entrarem em uma loja de chapéus. Eu fui entrar, mas estava tão cheio de gente e, consequentemente, tão quente que eu desisti e resolvi esperar do lado de fora. Naquele momento de espera, decidi fazer uma exploração mais solitária da Vila e deixar o grupo na quente loja de chapéus. Qualquer coisa eu os encontraria de novo.


Passei por um corredor de lojas até chegar em um pátio grande que dava para uma outra parte da Vila, à minha direita estava a entrada para os salões de festas, com muitas mesas grandes, lugares para comprar comida e bebida, e um grande palco para os shows. Dei uma olhada aqui e ali, e atravessei para outro salão. Descobri que aquele em que eu estava era o Setor 2, e eu havia passado para o Setor 1, e mais tarde ainda vi que lá no começo, antes da loja de chapéus, estava a entrada para o Setor 3.

Saí dos salões e cheguei ao parque de diversões, tinha uns brinquedos legais, mas eu não tinha ido ali pra isso. Andei mais um pouco e entrei em um outro salão do lado oposto ao que eu entrei na Vila. A partir dali voltei todo o caminho até chegar à escada que levava à ponte. Naquele momento, eu fiquei sem saber o que fazer. Eu estava na Vila Germânica, na Oktoberfest 2011, um lugar que muita gente gostaria de estar, e não sabia o que fazer.

4 comentários :

  1. Legal o blog, mas se quer uma opinião...
    Deverias abordar os assuntos de maneira mais envolvente.
    Abraços. ( te achei na comunidade do blogger)

    ResponderExcluir
  2. Pelas coberturas que já vi desse evento pela tv, parece realmente ser um lugar muito interessante.
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente, mas um dia quem sabe...

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante o blog e o post, parabéns! Voltarei mais tarde pra olhar melhor e comentar!

    Estou seguindo! Segue o meu blog também?

    http://rejanebruck.blogspot.com
    Beijo!

    ResponderExcluir