Total de visualizações de página

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ciano


– Por que ele é chamado de Ciano, mesmo? – perguntou Solano.
– Porque no 4º ano disseram que ele era tão negro, mas tão negro que chegava a ser azul. Alguns meses depois, ele descobriu que ciano é um tom de azul e então desde que ele virou mano passou a se chamar assim. – Alex explicou enquanto ele, Diana, Paty e Solano se aproximavam de um grupo de manos sentados em volta de uma das araucárias do bosque do colégio.
Mano Ciano estava reunido com seus 5 amigos manos mais próximos, mas em todo colégio devia ter uns 50 manos, contando com as meninas. Alex sabia que atrairia um grande número de votos com a participação de Ciano em sua chapa.
– Mano Ciano... – começou Alex quando chegaram bem perto do grupo, mas foi interrompido por um dos manos do grupo.
– Como ousa se dirigir diretamente ao Mano Ciano? – disse o rapaz.
– Eu estudei com ele até o passado. – disse Alex irritado.
– Alex... – Ciano falou quase para si mesmo, mas o suficiente para todos ouvirem sua voz grave. – eu me lembro de você. – ele disse levantando a cabeça e mostrando parte do rosto embaixo do grande capuz do moletom.
– Feliz agora? – Alex disse para o mano que o interrompeu. – Ciano, eu estou aqui...
– ... para me chamar para participar da sua chapa.
– Como você sabe? – disse o líder da chapa, espantado.
– Tento me manter informado. – respondeu o mano.
– Nesse caso, vou pular a explicação e ir direto à pergunta: Mano Ciano, você quer fazer parte da minha chapa? – disse o garoto, empolgado.


– Não. – Ciano disse, secamente. – Ah, olha, essa é muito boa, manolos. – ele disse para os seus amigos ligando uma música no celular.
“Isso nunca tinha acontecido antes”, pensou Alex. Ele estava sendo ignorado, mas se estivesse sozinho ainda seria suportável. Acompanhado pelos seus companheiros de chapa, ele estava sendo também humilhado. Sem saber o que fazer, ele foi abaixando a cabeça automaticamente e sem querer seus olhos começavam a se encher de lágrimas.
– Vamos embora, Alex! Não precisamos dos votos desses ogros sem estilo. Solano e eu somos suficientes pra vencer. – disse Paty.
Ao ouvir isso, Alex pensou que se até a Paty, umas das meninas mais fúteis que ele já conhecera, estava ao seu lado, empolgada e decidida a ganhar, ele não precisava implorar pela participação de Ciano. Ele já tinha um bom grupo.
– Você tem razão! – Alex disse, levantando a cabeça, engolindo o choro da raiva. – Não precisamos de um mané que trata todo mundo mal; não precisamos de um cara que usa roupas 3 vezes maior que ele e acha que isso é estilo; não precisamos, mesmo, de alguém que tem vergonha do próprio nome e passado. – ele finalizou com muita raiva na voz.
Por baixo do capuz, Ciano arregalou os olhos quando seu antigo amigo terminou de falar. O grupo de Alex deu as costas para os manos e começou a andar.
– Alex! – Ciano chamou, correndo e segurando suas calças largas. – Ei! Desculpa o mau jeito de antes. É que eu tenho que manter a pose com os manos, sabe? – ele continuou, vendo que Alex não falava. – Olha, eu, realmente, lembro de você. Era extrovertido, alegre e sempre liderava os trabalhos em grupo. Eu gostava disso. Eu quero me juntar a você na sua chapa, Alex. Achei que você ia vir com um daqueles seus argumentos tão convincentes. – disse o mano.
– E por que eu deveria aceitá-lo agora, Kleber? – disse Alex, percebendo o interesse de Ciano.
– Kleber? Esse é o seu nome? – se espantou Diana.
– Fala baixo, menina. Qual o teu problema? – pediu o mano. – E então, Alex, posso participar da sua chapa?
               Aquela era uma situação nova, nenhum dos membros anteriores tinha pedido para entrar e sim aceitado. Alex aproveitou o momento, fez um charme, enrolou um pouco, mas no fim aceitou, porque afinal, era o que ele queria, foi pra isso que ele fora ali. E naquele momento, ele se sentiu completo, com a chapa perfeita e tudo o que ele viu pela frente foi: a vitória. 

7 comentários :

  1. Eu adoro esse conto, que mostra bastante a realidade dos jovens que querem ser apar de todos os grupos e ser super popular, Eu quando era mais novinha participei de um grêmio estudantil, e é uma sensação muito legal, sensação ''I give the power'' kkkkkk'...

    ResponderExcluir
  2. Pois é.. assim como o Ciano tem mta gente que age de forma diferente quando está em grupo, principalmente adolescentes que querem se auto afirmar. Gostei do conto. E obrigada pelo comentário no meu blog!

    ResponderExcluir
  3. Olá meu queridinho!!! Sobre seu comentário lá no blog, de vez em quando eu venho com essas dicas... as vezes trago filmes tbem... aliás, minha paixão por filme é ainda maior e muito mais antiga do que por séries! Heheh... Olha só, Gladiador tem a mesma proposta de enredo, porém, bem mais intenso e provocativo... e com certeza, veremos o estilo de 300 estampado na série toda! Confira e me diga o que achou...

    A respeito de seu texto, essa necessidade que os adolescentes têm de fazerem parte dos grupos pops é antigo. Mas, percebo que só tende a piorar... :/
    bjs :)

    ResponderExcluir
  4. To aqui na expectativa pra ver no que vai dar. E, falando em expectativa, o que houve com o Zé Mané?

    ResponderExcluir
  5. Adorei a História, os desenhos são perfect *0*
    (L'



    tudo-pra-meninas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Gostei, gostei! Gostaria de saber em que post o conto começa?

    ResponderExcluir
  7. gostei! não peguei o post que o conto começa, mas parece ser bem interessante!

    comenta la:
    http://errosxacertos.blogspot.com

    ResponderExcluir